h1

José Bento dos Santos

Janeiro 17, 2011

Estou neste momento a assistir a um programa, na TVI24, que é uma grande lição sobre a excelência da gastronomia portuguesa. O programa, ” De homem para Homem”, conduzido pelo apresentador Manuel Luis Goucha, onde, entrevista o gastrónomo, José Bentos dos Santos, que deve fazer, com que, qualquer Português sinta orgulho na sua gastronomia. Este programa em especial, deveria na minha modesta opinião ter sido melhor divulgado, pois a alma com que este Senhor, fala da gastronomia em Portugal, deixa qualquer chef , com água na boca .

Honra lhe seja feita, pelo trabalho que faz, em prol da nossa gastronomia.

Conhecido do grande público graças a Sentido do Gosto, programa gastronómico de índole cultural de grande sucesso na RTP1, José Bento dos Santos é engenheiro químico-industrial de formação e gastrónomo e vitivinicultor por paixão. Actual vice-presidente da Academia Internacional de Gastronomia, é um assumido defensor das culturas e dos patrimónios culinários regionais e nacionais de cada país. E isso percebe-se bem quando considera que “Portugal tem o melhor peixe do mundo e que tal deve ser divulgado como uma bandeira maior da nossa gastronomia”, ou quando defende a cataplana, “um utensílio genuinamente português, que produz uma cozinha versátil, saborosa e saudável

h1

Doces Pecados – Bolo Casamento III

Julho 17, 2008

Olá amigos,

Nunca pensei que o bolo de casamento tivesse tanto sucesso !

E por isso, não posso deixar de vos presentear com mais algumas ideias do meu portfólio.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Espero que gostem,

Até à próxima,

Bem hajam.

h1

Doces Pecados – O Bolo de casamento – II

Julho 8, 2008

Olá amigos,

Tenho ficado surpreendido, com a quantidade de pessoas que visita o Post sobre o bolo de casamento. Sei que cada um tem os seus motivos, mas, julgo que a época em que nos encontramos motiva a visita ao mesmo.
Assim, apresento-vos mais um trabalho efectuado por mim.

 

Espero que gostem.

Até breve,

Bem Hajam.

h1

Salmão

Julho 7, 2008

Olá amigos,

Como já devem ter reparado pelo título, mais uma vez venho falar-vos deste peixe  magnífico, com um sabor levemente adocicado e com uma textura lascada ao toque dos talheres.

 

A receita que hoje partilho convosco, é simples e rápida de confeccionar.

Ingredientes: Filete de Salmão com pele ( 1 p/Pax), Batata pequena ( 4 p/Pax), Alho Francês, Feijão Verde, Cenoura Baby, Espargos, Ervilhas, Espinafres.

Confecção:

Os Filetes de Salmão, podem ser adquiridos em qualquer supermercado, bem como os restantes ingredientes.

Faça cortes longitudinais no Salmão, com cerca de 1 cm de profundidade. Tempere o Salmão com sal, pimenta e regue com um pouco de azeite. Com os dedos, espalhe o azeite uniformemente de ambos os lados.

( esta operação tem por objectivo que, ao grelhar o Salmão, este não se pegue à frigideira.)

Num tacho, coloque água a ferver e aromatize com sal, pimenta, louro, caldo de peixe e azeite. Quando a água estiver a ferver, comece a acrescentar ao tacho os  restantes ingredientes, pela seguinte ordem:

A batata, deixar ferver 10 min; o alho francês e a cenoura baby, ferver mais 3 min, o feijão verde, mais 3 min, os espargos, 2 min, as ervilhas, 2 min, e por fim os espargos, quando levantar fervura, desligue o lume e sirva de imediato.

Entretanto, leve o Salmão a grelhar numa frigideira em lume médio. 1º coloque o Salmão com o lado da pele para baixo e deixe cozinhar por 4 min, depois vire o Salmão e deixe cozinhar por mais 3 min.

 

Com uma escumadeira, retire os ingredientes da panela directamente para os pratos de servir e coloque-os no centro do prato.Não se preocupe com a apresentação, é assim mesmo. Por fim, regue com um pouco da água de cozer e coloque o Salmão com a pele virada para cima, em cima dos restantes ingredientes.

 

Como podem ver, esta é uma sugestão simples para um peixe requintado. Sente-se à mesa, e na companhia de quem preferir, abra uma garrafa de vinho tinto Grambeira tinto 2006, e disfrute desta mistura de sabores.

 

Até à próxima ,

Bem hajam

h1

O Azeite na Cozinha

Junho 25, 2008

Contrariamente ao que a maioria das pessoas pensa, o azeite, não é simplesmente azeite.

 

Existem azeites com características, independentemente da sua acidez ou da sua classificação (extra virgem, virgem e refinado), mais picantes, mais amargos, mais doces, mais aromáticos e ainda, mais perfumados.

A razão destas diferenças, tem a ver com a azeitona de que são feitos e, do micro-clima onde se desenvolvem. A importância desta forma de analisar as características do azeite, na cozinha, é tirar o maior partido do produto natural.

 

Os azeites do Norte, habitualmente, são azeites mais amargos e picantes, que devem ser utilizados na cozinha para saladas com sabores açucarados, sopas em que o azeite perfume a cru e ainda numa feijoada em que o sabor é adocicado e a importância do azeite ser picante e um pouco amargo, faz o contraste perfeito.

 

Os azeites do Ribatejo, normalmente, são azeites redondos e doces.

São excelentes para utilizar em sobremesas e em combinações com estas e ainda, para temperar confecções muito aciduladas.

 

Os azeites do Alentejo, são azeites frutados e com aroma fresco.

Devemos utilizá-los para temperos a cru de legumes, peixes cozidos e grelhados.

Nas confecções a quente, são óptimos para os assados, de borrego, caça e porco preto.

 

Concluindo, o azeite como gordura vegetal, e todos sabemos, sem

gordura não há sabor, é sem dúvida, na cozinha actual, “uma estrela”!

 

h1

As Vantagens de comer Peixe

Maio 22, 2008

 

Não há quem não saiba que o peixe é um alimento nutritivo e deve ser consumido, pelo menos, duas vezes por semana, intercalando com outros tipos de carnes como, bovina, suína e aves. Mas, apesar da grande extensão do litoral português, a ingestão de peixes em Portugal ainda é muito pequena.

Para que a alimentação fique mais rica e nutritiva, deve ser incentivado o consumo de peixe visando a diminuição da ingestão de ácidos gordos saturados e o aumento de poliinsaturados ómega 3, vitaminas e minerais.

A seguir, passo a referir as principais vantagens para a saúde obtidas através dos nutrientes presentes nos peixes.

Os peixes são ricos em proteínas de alta qualidade.

Por serem ricos em aminoácidos essenciais (substâncias não produzidas pelo nosso organismo), os peixes possuem proteínas com valor nutritivo ligeiramente superior às das carnes vermelhas (como as de boi e porco). Além disso, as proteínas dos peixes são de alta digestibilidade, favorecendo o processo de digestão.

Em geral, os peixes possuem menos gordura que a maioria das carnes bovinas e suínas.

A percentagem de lipídos (gorduras) da maioria dos peixes encontra-se entre 0,2 a 23,7%. Essa quantidade varia de acordo com a espécie, sexo, idade, tipo de alimentação, estação do ano (verão ou Inverno) entre outros factores.

Assim, eles podem ser classificados em:

Baixo teor de gordura: menor que 2%

.Médio teor de gordura: de 2 a 5%

.Alto teor de gordura: acima de 5%

Os peixes de carne clara como, por exemplo, bacalhau, badejo, corvina, carpa, dourado, garoupa, linguado, pescada; apresentam menor quantidade de lipidos que os de carne escura como, por exemplo, atum, anchova, arenque, cavala, sardinha, salmão e a tainha.

Os peixes são ricos em ômega 3.

O tipo de gordura predominante nos peixes é a poliinsaturada diferentemente das carnes vermelhas, as quais contêm uma alta proporção de gordura saturada. A do tipo saturada, quando consumida em grande quantidade, pode ser prejudicial para o coração.

Dentre as “famílias” de gordura polinsaturada, destaca-se o ómega 3, devido aos grandes benefícios proporcionados à nossa saúde, como: diminuição dos riscos de doenças cardiovasculares e acidente vascular cerebral (derrame), redução da pressão arterial, acção anti-inflamatória, diminuição das taxas de triglicérides e colesterol total no sangue.

O ómega 3 está presente, em maior quantidade, nos peixes de águas salgadas e frias, como: atum, arenque, bacalhau, sardinha e salmão. Os de águas doces, também apresentam ómega 3, mas em quantidade muito inferior quando comparados aos primeiros.

Os peixes são boas fontes de vitaminas e minerais.

Eles apresentam boas concentrações de vitaminas lipossolúveis (solúveis em gorduras), como A, E e, principalmente, D. Também são ricos em vitaminas hidrossolúveis (solúveis em água) como niacina – presente nas reações químicas de liberação de energia em nosso corpo – e ácido pantotênico – essencial no metabolismo de proteínas, carbohidratos e gorduras.

Além disso, os peixes contêm vários minerais importantes como, sódio, potássio, magnésio, cálcio, ferro, fósforo, iodo, flúor, selênio, manganês e cobalto.

Os peixes são versáteis.

Outra grande vantagem dos peixes em relação às carnes de boi e porco é a facilidade da sua preparação:

– Os frescos cozinham em pouquíssimo tempo e podem ser usados em diversas preparações, como: ao molho, empanado, assado, ensopado, cozido, grelhado, frito e até mesmo cru, desde que seja proveniente de um fornecedor que possua boas condições higiénico-sanitárias e seja de sua confiança.

– Também podem ser adquiridos em conserva (enlatados), frescos, congelados, salgados (bacalhau) e defumados (arenque, salmão ou truta).

Por causa de todas as vantagens descritas, incluir ou aumentar o consumo de peixes é uma boa atitude para obter os benefícios que os seus nutrientes essenciais fornecem.

h1

Arte em Culinária

Maio 13, 2008

 

Há momentos em que o traje de cerimónia é o mais indicado para a ocasião!!!!